FUNDAÇãO MIGUEL DE CERVANTES

A Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes é uma plataforma digital de acesso livre dedicada a digitalizar e difundir o património bibliográfico, documental e crítico da cultura espanhola e hispano-americana, e inclui trabalhos de investigação, catálogo em outras línguas e bibliotecas do mundo.

Um pouco de história…

A Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes começou em 1998 na Universidade de Alicante (UA) que desde o primeiro momento percebeu as enormes possibilidades da Internet como instrumento fundamental de preservação do património, da comunicação e da transmissão cultural.

O projeto apresentou-se com um fundo virtual de obras clássicas em línguas hispânicas com um sistema de ordenação e pesquisa similar a uma biblioteca e acesso gratuito desde qualquer lugar do mundo através da Rede. Esta ideia de biblioteca monumental sem fronteiras do espanhol obteve o apoio do Banco Santander e da Fundação Botín, que decidiram apoiar o projeto na sua integridade desde a Universidade de Alicante.

Deste modo, a Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes inaugurou-se no 27 de Julho de 1999, e em 2001 constituiu a Fundação Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes, encarregada de converter o projeto no referente das letras hispânicas em Internet.

O Patronato da Fundação está presidido por Mario Vargas Llosa (Prêmio Nobel de Literatura em 2010), o vice-presidente é o Reitor da Universidade de Alicante e Mario Benedetti é Patrão de Honra desde Junho de 2009. Entre os vocais encontram-se vários ministros e secretários de Estado do Governo Espanhol, o presidente da Generalitat Valenciana, os presidentes de Banco Santander, Grupo Prisa, CRUE, Fundação Germán Sánchez Ruipérez e Federação de Grémios de Editores de Espanha, os diretores da Real Academia Espanhola e o Instituto Cervantes e um representante da Fundação BoTín.

O Conselho científico, dirigido por Darío Villanueva (catedrático de Literatura espanhola da Universidade de Santiago de Compostela e secretário da RAE) é integrado por personalidades de prestígio que velam pela qualidade dos conteúdos incluídos na Biblioteca.

Na actualidade, a Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes consolidou-se como um indiscutível espaço de referência da cultura em Espanhol e como um projeto aberto, universal e integrador com vocação de continuar brindando os seus serviços a estudantes, professores, pesquisadores, leitores, etc.

Em fevereiro de 2013 o projeto conseguiu o Prémio Stanford para a Inovação em Bibliotecas de Investigação (SPIRL), galardão que compartilhou com a Biblioteca Nacional de França. Segundo o júri, a Cervantes mereceu o reconhecimento pelos conteúdos de primeira qualidade, entre os que destacam edições utilizadas pela comunidade investigadora mundial. A organização sublinhou que a Cervantes aborda os retos das bibliotecas digitais mediante um desenho aberto e focado aos utentes, com uma arquitetura orientada a oferecer serviços e um suporte de desenvolvimento em código aberto (open-source).

Mais informação: Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes

Conteúdos Relacionados