Instrumentos para a Vigilância Tecnológica


  • LAReferencia é um projeto apresentado pela RedCLARA, financiado pelo Fundo de Bens Públicos Regional do Banco Inter-americano de Desenvolvimento (BID), cujo principal propósito é a criação de uma estratégia consensualizada e um marco de acordos para a construção e manutenção de uma rede federada de repositórios institucionais de publicações científicas destinada a armazenar, compartilhar e dar visibilidade à produção científica de livre acesso da América Latina.

    Ler mais

As ferramentas de vigilância tecnológica são um instrumento imprescindível para captar, processar e transformar a grande quantidade de dados e informação disponível em conhecimento útil para a tomada de decisões numa organização. Existem muitos tipos de ferramentas tecnológicas, diversas segundo as suas características e a casuística, as fontes de informação sobre as que trabalham e os processos de vigilância que apoiam, entre outras peculiaridades.

É recomendável escolher as ferramentas informáticas para a vigilância tecnológica que melhor se adequem a cada situação, para o qual existem diferentes metodologias e critérios de valoração, principalmente recomendados por bibliotecas, documentalistas e profissionais da informação. Internet permite o acesso a múltiplos recursos e ferramentas digitais de utilidade para a vigilância tecnológica, como:

Alertas:

Alertas são serviços personalizados de informação de atualidade sobre aspetos concretos dum setor ou temática (Ex: legislação, normativa, convocações, eventos, artigos científicos, patentes, ofertas tecnológicas, etc.). Na atualidade, múltiplas instituições e organizações começam a oferecer estes serviços de informação “à carta”, prévia assinatura ou sindicalização (RSS), que ajudam ao seguimento e deteção de sinais informativas. Um exemplo deste tipo de ferramentas é:

Pesquisadores especializados: 

Os pesquisadores especializados centram-se em recuperar informação exaustiva de um tipo de fonte específica (ex: patentes, artigos científicos, etc.), uma área de conhecimento particular (ex: medicina, engenharia, biotecnologia, etc.) ou um tipo de informação concreta (ex: académica, tecnológica, etc.). Um exemplo destas ferramentas de pesquisa especializada podem ser:

  • INTELLIGO, explorador do espaço académico ibero-americano. 
  • SCIRUS, pesquisador especializado em informação científico-técnica.
  • GOPUBMED, pesquisador especializado na área biomédica, baseado em PubMed.
  • BUSCALAW, pesquisador especializado na área do direito, oferece informação de vários países da América Latina.
  • RECOLECTA, pesquisardor especializado em ciência aberta, produção científica em aberto.
  • CREATIVE COMMONS SEARCH, pesquisador especializado em recursos digitais com licença creative commons.
  • SCIENCE ACCELERATOR, pesquisado especializado em todas as coleções e recursos do Departamento de Energia dos EUA (ex: patentes, relatórios técnicos, revistas eletrónicas, conferências, etc.)
Bases de dados especializadas:

As bases de dados são uma fonte de informação estruturada fundamental para conhecer os dados mais relevantes que sucedem numa área temática concreta, daí que resulte essencial conhecer em detalhe as bases de dados de informação mais apropriadas para cada estratégia. Podem ser generalistas ou especializadas e cada vez mais, estão em suporte eletrónico o que facilita o seu acesso e consulta. Existem uma ampla tipologia de bases de dados, que para a vigilância tecnológica resultam fundamentais:

Meta-pesquisador: 

Os meta-pesquisadores permitem lançar uma única pesquisa em múltiplos motores simultaneamente, oferecendo os resultados num único ecrã e em muitos casos, de maneira organizada e hierarquizada. Oferecem resultados exaustivos sobre uma enorme gama de fontes de informação e contribuem a uma panorâmica geral sobre um tema concreto. Um exemplo deste tipo de ferramentas para facilitar práticas de vigilância tecnológica é: 

  • OBSERVA, Meta-pesquisador de Ciência e Tecnologia: oferece informação relevante sobre ciência, tecnologia e inovação produzida em Ibero-américa e organiza os resultados atendendo a fontes de informação estratégicas para a vigilância tecnológica. 
Marketplace: 

Os Marketplaces são ferramentas cada vez mais úteis para a difusão da investigação e exploração de capacidades e resultados de investigação, ao oferecer acesso a  ofertas e procuras tecnológicas publicadas, bem como processos de procura de sócios. 

Software de vigilância tecnológica: 

Software de vigilância tecnológica é uma ferramenta informática para a gestão integral e sistémica de práticas de vigilância tecnológica nos seus diferentes processos. Existe uma multidão de ofertas, livres e de pagamento, atendendo a diferentes fontes de informação e funcionalidades. Um conjunto de exemplos são:

Open Analytics:

Open Analytics aborda o desenvolvimento de tecnologias inovadoras open source, big data, business intelligence, data mining e open data. São numerosos os especialistas e líderes tecnológicos envolvidos no desenvolvimento distribuído de ferramentas de software livre aplicadas ao tratamento de dados. Uma referência para iniciar nesta matéria são eventos como os desenvolvidos por MediaLab Prado.