Sistemas Nacionais de Inovação



O sistema de inovação de um país constitui o conjunto de agentes, instituições e práticas inter-relacionadas que conformam, atuam e participam nos processos de inovação tecnológica e social que sucedem no país, gerando um ecossistema favorecedor para as atividades de Investigação, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação.

Existem diferenças qualitativas e quantitativas importantes entre os sistemas de inovação dos países ibero-americanos. Ainda se estão a dar importantes passos na criação e consolidação de políticas tecnológicas de impulso à inovação e o empreendimento científico, mas nos países em desenvolvimento se encontram menos pessoas envolvidas nos processos de inovação, existem menos instituições públicas comprometidas com o labor e o seu desenvolvimento é incipiente. O investimento em investigação e desenvolvimento como percentagem do PIB é menor, o número de patentes também é menor e muitas empresas ainda não contam com departamentos dedicados a atividades de I&D. Qualitativamente, estes países estão em desvantagem com respeito aos países desenvolvidos. Para conhecer dados e cifras atualizadas recomendamos a leitura do artigo "Sistemas de Innovación en América Latina" publicado pelo Banco de Desenvolvimento Inter-americano (BID).

Para abordar estas desvantagens, países da América Latina mais adiantados em temas de inovação estão a apostar pela modernização tecnológica como prioridade da sua política industrial, com o objetivo de vincular melhor a ciência e a tecnologia ao sector privado nacional e aumentar a sua capacidade competitiva.

Geralmente, as características de um Sistema Nacional de Inovação se materializam através das políticas tecnológicas da cada país, especialmente nos Planos Nacionais de Ciência e Tecnologia que cada Estado elabora. Os países ibero-americanos com planos mais consolidados são: