Gestão da Inovação


  • O Serviço Nacional de Aprendizagem SENA de Colômbia lança a Guia Prática InnoViTech de vigilância tecnológica para a inovação. Trata-se dum manual prático elaborado por membros da equipa de Rede TecnoParque Colômbia Nodo Rionegro do Sistema SENNOVA. O objetivo é ajudar aos interessados a melhorar a tomada de decisões e oportunidades de inovação com a incorporação de processos de vigilância estratégica e inteligência competitiva.

    Ler mais

A inovação é a aplicação comercial de uma ideia e a gestão da inovação é o processo de organizar e dirigir os recursos da organização (humanos, materiais, económicos) com a finalidade de aumentar a criação de novos conhecimentos, gerar ideias que permitam desenvolver novos produtos, processos e serviços ou melhorar os já existentes para transferir esse conhecimento a todas as áreas de atividade da organização.

Como ponto de partida é fundamental investir tempo em definir o modelo de gestão estratégica que a organização seguirá, desenhando um processo de inovação e seu sistema de gestão. Trata-se, em síntese, de definir fases e atividades a empreender, inter-relacionar os recursos a destinar, os objetivos a conseguir, a estrutura organizativa de apoio, um plano de ação para conseguir indicadores de medida e avaliação do processo. Estes são alguns dos passos a seguir na gestão da inovação.

Entre as atividades mais importantes do processo de gestão da inovação para uma organização, recomendamos a "Guia Prática para a gestão da inovação em 8 passos" publicada pelo Governo de Navarra (Espanha) e ANAIN que fala de quatro grupos de aspetos a considerar:

1. Dimensão estratégica

O primeiro passo é pôr em marcha o plano estratégico da organização, principal exercício de definição e planeamento do que se pretende conseguir. Trata-se de abordar os objetivos e alcance da estratégia de inovação depois do auto-diagnóstico da situação.

2. Identificação de ideias para desenvolver

São muitas as técnicas e práticas para identificar e gerar novas oportunidades de inovação, entre estas destacam as técnicas de criatividade, desenho e desenvolvimento de produto baseadas nas capacidades criativas das pessoas e os sistemas de deteção de oportunidades e ameaças do meio derivados de sistémicas de vigilância tecnológica, benchmarking e inteligência competitiva.

3.Desenvolvimento dos projetos

Trata-se da posta em marcha de iniciativas inovadoras. A gestão de projetos tecnológicos e de inovação apresenta características muito particulares, derivadas sobretudo da falta de definição de alguns aspetos do desenvolvimento, grau de incerteza e risco em relação com os objetivos e resultados, etc. Por isso é muito útil na prática da inovação desenvolver sistémicas para o planeamento e controle da execução de projetos de inovação atendendo às necessidades específicas da cada iniciativa e primando a coordenação com outros projetos da organização. Ademais, um aspeto decisivo é conhecer as possibilidades de financiamento oferecidas pelas Administrações para promover atuações inovadoras.

4. Exploração dos resultados

Inovar é gerar vantagens competitivas que nos diferenciem no mercado e, através da gestão da inovação, um passo finque é conseguir dispor destas vantagens o máximo tempo possível. Para isso temos os diferentes  mecanismos de proteção dos resultados de investigação, que nos permitem garantir a obtenção da maior quantidade possível de benefícios resultado da inovação e também a posta em marcha de estratégias de negócio para explorar e rentabilizar esses resultados.

A base deste processo de gestão da inovação reside na adoção de sistemas de geração, conservação e gestão do conhecimento na organização. Identificar como e quando se gera conhecimento útil para o negócio e as sistémicas existentes para integrar nas práticas da organização.